Poerimas - 50 poesias

Parnasianismo

O Parnasianismo é um estilo literário que surgiu na segunda metade do século XIX como uma proposta de se fazer poesia utilizando-se uma linguagem rebuscada, racional e perfeita do ponto de vista formal. Veio como um movimento de reação ao sentimentalismo idealizante e à fantasia do Romantismo. No Parnasianismo o rigor à métrica e à estética prevalecem. O culto à beleza das formas designou o seu lema “a arte pela arte”, introduzido pelo poeta francês Théophile Gautier (1811-1872). O nome "Parnasianismo" vem do termo "Parnaso", que na mitologia grega significa a montanha consagrada ao deus Apolo e às musas da poesia.

O marco difusor do Parnasianismo foi a publicação da coletânea de poesias Parnasse Contemporain, que foi lançada em três edições nos anos de 1866, 1871 e 1876, na França. Essa publicação contava com escritores de estilos bastante diversos, os quais passavam pela vida cotidiana, pela alegoria filosófica e pela poesia histórica e descritiva. Apesar do leque amplo de temas, um fato praticamente obrigatório era o rigor formal por meio do verso bem trabalhado, rimas bem elaboradas, ritmo marcado pela métrica e um vocabulário de efeitos plásticos. O Parnasianismo traz em si o gosto pelo ideal positivista e pela objetividade da ciência. Pregava que a beleza da poesia deveria ser alcançada por um trabalho obstinado e incansável que buscasse o rigor da forma.

As principais características do Parnasianismo são: culto à forma, objetivismo, cientificismo, busca da perfeição, métrica regular (pequena variação) ou perfeita (exata), rimas regulares e ricas, poucas figuras de linguagem, vocabulário rebuscado e texto descritivo e narrativo. As fontes de inspiração são baseadas na realidade (objetos e paisagens), em fatos históricos, na mitologia grega e na cultura clássica. Tem presença marcante de sonetos que fazem uso da métrica heroica (10 sílabas), embora também utilize bastante as métricas redondilha menor (5 sílabas), redondilha maior (7 sílabas) e alexandrino (12 sílabas).

No Brasil o Parnasianismo começou com a publicação da obra “Fanfarras”, do poeta Teófilo Dias, no ano de 1882. O nome mais reconhecido da poesia parnasiana brasileira foi Olavo Bilac, jornalista, tradutor e poeta, que trazia em suas poesias temas históricos, patrióticos, emotivos, platônicos e sensuais. Conhecido como o "Príncipe dos Poetas Brasileiros", Bilac também escreveu o Hino à Bandeira do Brasil e foi um dos membros fundadores da Academia Brasileira de Letras. Outros parnasianos brasileiros de destaque são Alberto de Oliveira e Raimundo Correia que, junto com Bilac, formaram a “Tríade Parnasiana”. O Parnasianismo perdeu força no Brasil após a Semana de Arte Moderna de 1922, que foi o marco precursor do Modernismo no país.

por: Antonio Celestino


Referências:
Parnasianismo - Wikipedia
Parnasianismo no Brasil - TodaMateria
Le Parnasse Contemporain - Wikipedia


Poesias